Hoje comemoramos mais um Darwin Day

Charles Robert Darwin (1809 – 1882) foi um naturalista nascido no Reino Unido reconhecido mundialmente por sua contribuição para a ciência com seu trabalho sobre a evolução das espécies. A partir de seus estudos foi desenvolvida a teoria da evolução das espécies, que explica como as diferentes espécies de seres vivos se desenvolveram ao logo de milhões de anos.

Por ser naturalista, Darwin foi convidado a participar da viagem ao redor do mundo feita pelo navio Beagle, que durou quatro anos e nove meses. Nessa viagem, Charles Darwin chegou na costa brasileira, mas seguiu viagem para a Patagônia, ilhas Malvinas, ilhas Galápagos, Nova Zelândia, Maldivas, entre outros lugares, além de toda a costa ocidental da América do Sul, indo do Chile ao Peru. O naturalista observou diversas espécies de animais e vegetais durante a viagem, coletou fósseis e observou também diversos fenômenos geológicos (erupções e terremotos, por exemplo.

Com as observações, Darwin percebeu que um determinado animal apresentava características distintas de uma região a outra. Tal observação levou o naturalista a supor que os seres vivos não eram imutáveis como fortemente se acreditava naquele período (corrente chamada de fixismo ou fixismo das espécies, vinda do criacionismo). Com essas informações, Darwin passou a se questionar o motivo de os seres vivos apresentarem características passíveis de transformação e chegou a conclusão de que a luta pela vida que levava os seres vivos a se adaptarem. Futuramente esse conceito foi amadurecido por Darwin, que chegou a conclusão de que apenas os seres que estejam adaptados a uma determinado condição do ambiente sobrevivem e passam esta característica para as próximas gerações. Entretanto vale ressaltar que não existiam até então os conceitos de genes, material genético e etc, descobertos vários anos depois da morte de Charles Darwin.

Em 1859, Darwin publicou seu livro mais conhecido chamado A origem das espécies, no qual resumiu seus estudos sobre a origem as espécies através do mecanismo da seleção natural ou preservação de características favorecidas na luta pela sobrevivência. Devido a forte crença no fixismo das espécies, sua obra causou grandes discussões e polêmicas na época. Com a descoberta dos genes, hoje suas ideias são mais aceitas e suas obras são referência na comunidade científica.

Darwin morreu em 1882 vítima de um ataque cardíaco, mas representou um marco para a história da ciência, dedicando toda a sua vida na atividade científica e contribuindo de forma gigantesca para a compreensão dos mecanismos envolvidos no processo de evolução dos seres vivos.

Autor: Emanoel Vieira da Silva

GRAVITON MARCA PRESENÇA NA OBSERVAÇÃO DO ECLIPSE PARCIAL DA LUA

O GRAVITON SCIENTIFIC SOCIETY – GSS, marcou presença no último eclipse lunar parcial, ocorrido no dia 16 de julho de 2019. As observações ocorreram no Parque da Cidadania, em Teresina, Piauí, com a presença de alguns dos membros do GSS (Edwar, Gilson, Peixoto, Jussiê, dentre outros), além de professores do projeto Cidade Olímpica, bem como do Professor Alberto, do Observatório Nacional. Foi maciça a presença da população, em mais uma ação do GSS, no sentido de difundir e popularizar a ciência.

ECLIPSE PARCIAL DA LUA – FOTO: g1.com

No dia 05 de Dezembro será realizado o 3° Teresina Hack Day

 

 

12291304_891410470937284_1181190313589073208_o

O Teresina Hack Day é um evento semestral, promovido pela Associação Piauiense de Software Livre (APISoL) juntamente ao Teresina Hacker Clube, cujo o objetivo principal é disseminar ideias criativas e inovadoras, que podem impactar diretamente a sociedade mostrando, através de palestras e oficinas, soluções simples para alguns problemas, abrangendo vários aspectos da ciência, tecnologia e cultura. Este evento será realizado no dia Sábado 05 de Dezembro de 2015, das 09:00 às 18:00, no Auditório do IFPI-Teresina Central.

Para maiores informações visite a pagina do Evento no Facebook:

 https://www.facebook.com/groups/526179760736328/1050842618270037/?notif_t=group_activity

Ou o site do Teresina Hacker Clube:

http://teresinahc.org/hackday/

A 2ª Edição do Conexão Cósmica abordou temas nas áreas de Astrobiologia, Astrofísica e Exploração Espacial.

No dia 05 de setembro de 2015, às 14 horas aconteceu  a 2ª edição do Conexão Cósmica.

Conexão Cósmica é o nome dado a um evento de divulgação científica, idealizado pela GSS (Graviton Scientific Society) em parceria com o IFPI, o Teresina Hacker Clube e Oculares Net. Este é o único evento do Nordeste em ser gratuito, aberto ao público em geral, ter palestrantes de renome e abordar exclusivamente áreas como a Astrofísica, astrobiologia e exploração espacial

A segunda edição do Conexão Cósmica II, objetivou estimular a cooperação entre professores, pesquisadores e entidades públicas e privada na organização de eventos nesta área pouca explorada em nossa região, assim como propiciar um debate referente a procura por vida fora da Terra, a recente descoberta centenas de planetas extra-solares e os esforços realizados pela ciência para possibilitar à humanidade a exploração e colonização do espaço.

 

Maiores informações: (whatsapp) (86) 8871-5379

IFPI-DIREX, THC E GSS COLOCAM UM NOVO MARCO NA ASTRONOMIA AMADORA EM TERESINA

DE OLHOS NO CEU DE TERESINA

 

 

Neste sábado 30 de Maio de 2015, aconteceu a primeira de uma série de observações astronômicas que serão realizadas pelo projeto “de olhos no céu de Teresina” desenvolvido pelo IFPI/DIREX-TERESINA CENTRAL, TERESINA HACKER CLUBE E GRAVITON SCIENTIFIC SOCIETY. O evento aconteceu no estacionamento do prédio B do IFPI-Teresina Central no horário de 18:00 as 21:00 horas, no qual foram disponibilizados 4 telescópios para atender ao publico que esteve presente. Este evento simboliza o inicio de um longo caminho a ser percorrido na Astronomia em nosso estado. O Projeto ” de Olho no Céu de Teresina” é o primeiro passo para uma serie de projetos a serem realizados ao longo dos anos numa parceria entre a GSS, THC e outras instituições publicas e privadas, que serão anunciados em breve.

O evento contou com a presença de diversas pessoas além da equipe da Graviton Scientific Society e Teresina Hacker Clube . Dentre elas a professora Ana Claudia, representando a Diretoria de Extensão do IFPI-Teresina Central, o Secretario municipal de Educação de Teresina Kleber Montezuma juntamente com outras pessoas (adultos e crianças).

O projeto ” de Olho no Céu de Teresina” tem como objetivos aproximar mais a sociedade da ciência, incentivando os alunos que estão começando os cursos nas áreas de ciência a se dedicar à astronomia, desenvolvendo assim,  ferramentas, métodos e materiais didáticos que possam ser usados posteriormente por professores em sala de aula.

Para participar, basta preencher o formulário disponibilizado neste site e acompanhar a marcação da próxima data de observação.

FAÇA SUA INSCRIÇÃO AQUI

CONFIRA AS IMAGENS!

Arthur Montenegro, fazendo observação - O projeto "De Olho no Céu de Teresina" é desenvolvido pelo IFPI-DIREX/THC/GSS. Crédito: Danilo Alefe.

Arthur Montenegro, fazendo observação – O projeto “De Olho no Céu de Teresina” é desenvolvido pelo IFPI-DIREX/THC/GSS. Crédito: Danilo Alefe.

O secretário municipal de Educação, Kleber Montezuma , participando da observação astronomica - O projeto "De Olho no Céu de Teresina" é desenvolvido pelo IFPI-DIREX/THC/GSS. Crédito: Danilo Alefe.

O secretário municipal de Educação, Kleber Montezuma , participando da observação astronomica – O projeto “De Olho no Céu de Teresina” é desenvolvido pelo IFPI-DIREX/THC/GSS. Crédito: Danilo Alefe.

 

Francisco Peixoto Neto(GSS) - de Fundo o Planeta Júpiter- Projeto "De Olho no Céu de Teresina" desenvolvido pelo IFPI-DIREX/THC/GSS. Crédito: Danilo Alefe.

Francisco Peixoto Neto(GSS) – de Fundo o Planeta Júpiter- Projeto “De Olho no Céu de Teresina” desenvolvido pelo IFPI-DIREX/THC/GSS. Crédito: Danilo Alefe.

 

Um dos Telescópios usados no projeto  e em segundo plano a Lua - O projeto "De Olho no Céu de Teresina" é desenvolvido pelo IFPI-DIREX/THC/GSS. Crédito: Danilo Alefe.

Um dos Telescópios usados no projeto e em segundo plano a Lua – O projeto “De Olho no Céu de Teresina” é desenvolvido pelo IFPI-DIREX/THC/GSS. Crédito: Danilo Alefe.

 

Foto da Lua - O projeto "De Olho no Céu de Teresina" é desenvolvido pelo IFPI-DIREX/THC/GSS. Crédito: Danilo Alefe.

Foto da Lua, tirada durante o evento – O projeto “De Olho no Céu de Teresina” é desenvolvido pelo IFPI-DIREX/THC/GSS. Crédito: Danilo Alefe.

 O projeto "De Olho no Céu de Teresina" é desenvolvido pelo IFPI-DIREX/THC/GSS. Crédito: Danilo Alefe.

O projeto “De Olho no Céu de Teresina” é desenvolvido pelo IFPI-DIREX/THC/GSS. Crédito: Danilo Alefe.

eu e a joyce

Joyce Ravena, Edward Montenegro (GSS) -O projeto “De Olho no Céu de Teresina” é desenvolvido pelo IFPI-DIREX/THC/GSS. Crédito: Danilo Alefe.

REGINA IBIAPINA

Profª Francisca Regina, coordenadora de astronomia do projeto Cidade Olímpica Educacional – O projeto “De Olho no Céu de Teresina” é desenvolvido pelo IFPI-DIREX/THC/GSS. Crédito: Danilo Alefe.

 

Gilson Silva e Edward Montenegro, Fazendo o teste dos equipamento– O projeto “De Olho no Céu de Teresina” é desenvolvido pelo IFPI-DIREX/THC/GSS. Crédito: Danilo Alefe.

Gilson Silva e Edward Montenegro, Fazendo o teste dos equipamentos– O projeto “De Olho no Céu de Teresina” é desenvolvido pelo IFPI-DIREX/THC/GSS. Crédito: Danilo Alefe.

Francisco Peixoto, fazendo observação – O projeto “De Olho no Céu de Teresina” é desenvolvido pelo IFPI-DIREX/THC/GSS. Crédito: Danilo Alefe.

Francisco Peixoto, fazendo observação – O projeto “De Olho no Céu de Teresina” é desenvolvido pelo IFPI-DIREX/THC/GSS. Crédito: Danilo Alefe.

Estudantes participando da observação – O projeto “De Olho no Céu de Teresina” é desenvolvido pelo IFPI-DIREX/THC/GSS. Crédito: Danilo Alefe.

Estudantes participando da observação – O projeto “De Olho no Céu de Teresina” é desenvolvido pelo IFPI-DIREX/THC/GSS. Crédito: Danilo Alefe.