O Trânsito de Mercúrio.

Em Astronomia, denominamos “Trânsito Planetário” ao fenômeno no qual um planeta passa “na frente” de um outro corpo celeste, segundo o ponto de vista de um determinado observador. Uma situação particularmente interessante ocorre quando um Planeta passa “na frente” do Sol. Somos capazes de observar o trânsito dos Planetas Interiores (Mercúrio e Vênus) pela nossa estrela, o Sol.

Sistema Solar: Mercúrio e Vênus são os dois planetas mais próximos do Sol, seguidos pela Terra, Marte, Júpiter, Saturno, Urano e Netuno, nesta ordem.

 

O primeiro registro do trânsito de um planeta pelo Sol data de 1631, realizado pelo astrônomo francês Pierre Gassendi ( 1592-1655), que observou  Mercúrio transitar pela nossa estrela. O próprio Gassendi teve a oportunidade de ser também o primeiro a observar o trânsito de Vênus, que naquele ano ocorrera alguns meses depois, no entanto, condições climáticas desfavoráveis impediram o feito, conseguido apenas em 1639 por Jerimiah Horrocks e William Crabtree.

Um caso mais raro de trânsito é aquele no qual um planeta passa na “frente” de outro. O próximo evento deste tipo está previsto para o dia 22 de novembro de 2065, quando Vênus “transitará” por Júpiter (já sendo estraga prazeres, este fenômeno astronômico ocorrerá muito próximo do Sol, segundo visto da Terra, de modo que sua observação será muito difícil).

Em 3 de junho de 2014, o Rover Curiosity , nosso embaixador em solo marciano, observou pela primeira vez o trânsito de um planeta (de novo Mercúrio) a partir da superfície de um outro planeta que não a Terra. Pode-se assistir a um pequeno vídeo gravado pelo próprio Curiosity no site http://www.iflscience.com/space/curiosity-observes-first-transit-another-world (Acesso em 06/05/2016).

No trânsito, o corpo que está mais próximo é muito menor do que aquele que está mais distante (Mercúrio e Sol ou Vênus e Sol, por exemplo), o inverso do Trânsito é o fenômeno da “Ocultação”, quando o corpo mais próximo é muito maior do que aquele que se encontra mais distante.A seguir temos representado um sistema com uma estrela e um planeta orbitando-a (também serviria se fosse um planeta e um satélite, por exemplo), onde ficam claros os dois fenômenos, o Trânsito, quando o planeta passa na frente da estrela e a ocultação, quando o planeta passa “atrás” da estrela.

Trânsito e ocultação.

No próximo dia 09, seremos presenteados mais uma vez com o Trânsito do planeta Mercúrio pelo Sol, tal como observado por Gassendi. Além de ser um belo espetáculo, teremos uma ótima oportunidade para perceber o gigantismo de nossa estrela, já que Mércurio tem diâmetro de aproximadamente 4900 km e, no entanto, parecerá apenas um pontinho em comparação com o Sol.

sol

Trânsito de Mercúrio em 10 de novembro de 1973

Mais informações:

http://inspirehep.net/record/842679/plots

https://en.wikipedia.org/wiki/Pierre_Gassendi

https://en.wikipedia.org/wiki/Transit_(astronomy)

http://www.iflscience.com/space/curiosity-observes-first-transit-another-world

Sobre o autor do texto

pp (1)
Professor Irapuan Filho
IFMA-Campus Codó\SEEDUC-MA\GSS\CAC- Clube de Astronomia de Codó

 

 

 

 

 

Teresina é representado em Encontro de Física e Astronomia da UFSC

12814807_1001701053233339_4517707427859238281_n

João Evangelista Steiner e Edward Montenegro

12794397_1001701049900006_2939327677145800323_n (1)

Edward Montenegro, falando do projeto “De olho no céu de Teresina”, durante seminário na UFSC

O estudante Edwar Montenegro, do curso de Licenciatura em Física do Campus Teresina Central e atual presidente de GSS, foi destaque no IV Encontro de Física e Astronomia, ocorrido de 22 a 26 de fevereiro, no Campus Florianópolis da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

Com a orientação do professor do IFPI-Teresina Central, Ayrton Vasconcelos Lima, Montenegro apresentou o seminário “A Observação Astronômica como Ferramenta Motivadora para o Ensino-Aprendizagem em Física”. Ele foi o único estudante da graduação a apresentar trabalho na categoria seminários.

O interesse dos participantes do evento sobre o trabalho se deu devido à forma simples como é feita a abordagem do estudo de física, utilizando o céu como laboratório para observar e discutir alguns fenômenos e leis da física. Edwar fundamentou seu estudo nas experiências realizadas no projeto “De Olho no Céu de Teresina” desenvolvido no Campus Teresina Central.

 

Fonte: IFPI

A GSS participa de atividades educativas na colônia de férias do Lagoas do Norte

12622099_993468047358968_5009457692734932570_o

Voluntários da GSS, no projeto “Colonia de Ferias do Lagoas do Norte”

12628521_993468034025636_4756411086057132471_o

Voluntários da GSS, no projeto “Colonia de Ferias do Lagoas do Norte”

eab5ced5f5

Voluntários da GSS, no projeto “Colonia de Ferias do Lagoas do Norte”

Férias também é época de aprender. E, na Colônia de Férias do Parque Lagoas do Norte, cerca de 300 crianças participam de diversas atividades educativas sem deixar as brincadeiras de lado.
Junto aos jogos recreativos, as crianças aprendem de tudo um pouco: como combater o Aedes aegypti, como funciona o aeroporto e os cuidados que aqueles que moram no entorno devem ter e astronomia. Na tarde de terça-feira (26), por exemplo, um grupo de crianças produziu seu próprio foguete e descobriu qual a sua utilidade.
A pequena Isadora da Silva, de oito anos, é uma das crianças que participam da colônia. Ela elenca o que aprendeu durante os primeiros dias de atividades: “Já sei como lança um foguete, como combater o mosquito da dengue. Estou gostando muito”, afirma. Ana Caroline Almeida, de nove anos, já dá uma aula para os amigos e familiares sobre como combater o Aedes aegypti. “Chego em casa e já conto sobre o que aprendi”, diz.
Os pais, que acompanham os filhos durante as atividades, apoiam a iniciativa da Colônia de Férias. “Está sendo muito legal a colônia, a forma como os assuntos são passados para as crianças. Todos os dias meu filho conta o que aprendeu e ensina um pouco também para todos”, conta Solange Gonçalo, mãe do garoto Kauã Santiago. Ela e o filho moram no Pedra Mole, zona Leste de Teresina, e se deslocam para o Parque Lagoas do Norte.
A GSS teve uma participação especial durante o evento com uma oficina de foguetes construídos com garrafas pet e outros materiais recicláveis.
FONTE: PMT

Eclipse Lunar do dia 27/09/2015 será acompanhado pela equipe do projeto “De Olho no céu de Teresina”

luar eclipse

Em 27 de setembro de 2015, acontecerá um “eclipse lunar”, que é um fenómeno celeste que ocorre quando a Lua penetra totalmente ou parcialmente no cone de sombra projetado pela Terra, em geral sendo visível a olho nú. Isto ocorre sempre que o Sol, a Terra e a Lua se encontram próximos ou em perfeito alinhamento, estando a Terra no meio destes outros dois corpos. Neste acontecimento não poderia ser diferente, a Graviton Scientific Society em Parceria com o Instituto Federal do Piauí, o Teresina Hacker Clube e a Oculares Net, estão oferecendo 15 vagas para as pessoas que desejem acompanhar o fenômeno com a equipe do projeto: “de Olho no Céu de Teresina”

 Fenômeno

Às 22:07h (Horário de Brasília) a Lua vai começar a adentrar a parte mais escura da sombra da Terra, chamada de umbra, de modo que será possível vê-la “sumir” no céu. A partir das 23h11 ela estará totalmente encoberta, adquirindo o tom avermelhado característico dos eclipses totais. O satélite vai passar pouco mais de uma hora com esse aspecto, e, à 00h23, começa a sair da sombra, em um processo que vai até a 1h27 da madrugada do dia 28. O eclipse só deve chegar ao fim cerca de uma hora mais tarde – essa última fase, quando a Lua está saindo da parte mais clara da sombra, dificilmente é vista a olho nu.

Esquema representativo de um eclipse solar. As dimensões dos astros não se encontram à escala. Créditos: astro.up.pt

Horário e inscrições

As pessoas que conseguirem as vagas devem comparecer ao estacionamento do IFPI – Teresina Central – Prédio B, às 21:45h do dia 27 de setembro de 2015 (horário de Brasília). Para participar basta preencher o seguinte formulário e esperar a confirmação que será enviada por e-mail ou Telefone.

 

2ª Edição do projeto “De olho no céu de Teresina”, tem recorde de público adolescente

A 2ª Edição do projeto “De olho no céu de Teresina” aconteceu no sábado 27 de junho de 2015 e teve como atrativos principais para se observar a Lua, Júpiter, Vénus e Saturno.

Nesta edição teve como convidados especiais alunos de escolas da rede municipal de ensino de Teresina, alunos do IFPI, entre outros. O evento foi realizado no horário entre as 18:00 e 21:00 horas, no estacionamento do prédio B do IFPI- Teresina Central.

Lembrando mais uma vez para os amantes da astronomia que:Durante as atividades de observação acontecem explanações sobre a história e uso do telescópio, bem como descrições sobre os corpos celestes a serem observados.

As observações são abertas ao público (menores de 15 anos devem ser acompanhados por responsável) e acontece duas vez por mês, no sábado. Para cada dia de observação serão ofertadas 30 vagas, no horário de 17 às 21 horas. Inscrições serão realizadas através deste link http://gss1.org/site/?page_id=492#comment-30; E-mail:[email protected] ou no telefone: (86) 98871-5379.

 

 

 

002

De olho no céu de Teresina, é um projeto desenvolvido pelo IFPI/THC/GSS

003

De olho no céu de Teresina, é um projeto desenvolvido pelo IFPI/THC/GSS

005

De olho no céu de Teresina, é um projeto desenvolvido pelo IFPI/THC/GSS

006

De olho no céu de Teresina, é um projeto desenvolvido pelo IFPI/THC/GSS

007

De olho no céu de Teresina, é um projeto desenvolvido pelo IFPI/THC/GSS

010

De olho no céu de Teresina, é um projeto desenvolvido pelo IFPI/THC/GSS

ALUNA DO CURSO DE FÍSICA DO IFPI TEM TRABALHO ACEITO NA XXXIII RTFNB.

281912_381308542033333_2161721714464159537_n

Evanilde Fernandes é tesoureira da GSS desde 2014.

Aluna do curso de física do IFPI-Campus Teresina Central e atual tesoureira da GSS, Evanilde Fernandes da Rocha teve trabalho aceito na XXXVIII REUNIÃO DE TRABALHO SOBRE FÍSICA NUCLEAR NO BRASIL.

A Reunião de Trabalho sobre Física Nuclear no Brasil (RTFNB) é um evento realizado anualmente pela Sociedade Brasileira de Física desde 1978, com o intuito de promover a pesquisa em física nuclear no Brasil. A 38ª Reunião será realizada em Mangaratiba, RJ, de 07 a 11 de setembro de 2015, dito evento contará com a presença de pesquisadores de instituições nacionais e estrangeiras. O programa contempla os diversos campos da física nuclear em que há atividade de pesquisa no país.

IFPI-DIREX, THC E GSS COLOCAM UM NOVO MARCO NA ASTRONOMIA AMADORA EM TERESINA

DE OLHOS NO CEU DE TERESINA

 

 

Neste sábado 30 de Maio de 2015, aconteceu a primeira de uma série de observações astronômicas que serão realizadas pelo projeto “de olhos no céu de Teresina” desenvolvido pelo IFPI/DIREX-TERESINA CENTRAL, TERESINA HACKER CLUBE E GRAVITON SCIENTIFIC SOCIETY. O evento aconteceu no estacionamento do prédio B do IFPI-Teresina Central no horário de 18:00 as 21:00 horas, no qual foram disponibilizados 4 telescópios para atender ao publico que esteve presente. Este evento simboliza o inicio de um longo caminho a ser percorrido na Astronomia em nosso estado. O Projeto ” de Olho no Céu de Teresina” é o primeiro passo para uma serie de projetos a serem realizados ao longo dos anos numa parceria entre a GSS, THC e outras instituições publicas e privadas, que serão anunciados em breve.

O evento contou com a presença de diversas pessoas além da equipe da Graviton Scientific Society e Teresina Hacker Clube . Dentre elas a professora Ana Claudia, representando a Diretoria de Extensão do IFPI-Teresina Central, o Secretario municipal de Educação de Teresina Kleber Montezuma juntamente com outras pessoas (adultos e crianças).

O projeto ” de Olho no Céu de Teresina” tem como objetivos aproximar mais a sociedade da ciência, incentivando os alunos que estão começando os cursos nas áreas de ciência a se dedicar à astronomia, desenvolvendo assim,  ferramentas, métodos e materiais didáticos que possam ser usados posteriormente por professores em sala de aula.

Para participar, basta preencher o formulário disponibilizado neste site e acompanhar a marcação da próxima data de observação.

FAÇA SUA INSCRIÇÃO AQUI

CONFIRA AS IMAGENS!

Arthur Montenegro, fazendo observação - O projeto "De Olho no Céu de Teresina" é desenvolvido pelo IFPI-DIREX/THC/GSS. Crédito: Danilo Alefe.

Arthur Montenegro, fazendo observação – O projeto “De Olho no Céu de Teresina” é desenvolvido pelo IFPI-DIREX/THC/GSS. Crédito: Danilo Alefe.

O secretário municipal de Educação, Kleber Montezuma , participando da observação astronomica - O projeto "De Olho no Céu de Teresina" é desenvolvido pelo IFPI-DIREX/THC/GSS. Crédito: Danilo Alefe.

O secretário municipal de Educação, Kleber Montezuma , participando da observação astronomica – O projeto “De Olho no Céu de Teresina” é desenvolvido pelo IFPI-DIREX/THC/GSS. Crédito: Danilo Alefe.

 

Francisco Peixoto Neto(GSS) - de Fundo o Planeta Júpiter- Projeto "De Olho no Céu de Teresina" desenvolvido pelo IFPI-DIREX/THC/GSS. Crédito: Danilo Alefe.

Francisco Peixoto Neto(GSS) – de Fundo o Planeta Júpiter- Projeto “De Olho no Céu de Teresina” desenvolvido pelo IFPI-DIREX/THC/GSS. Crédito: Danilo Alefe.

 

Um dos Telescópios usados no projeto  e em segundo plano a Lua - O projeto "De Olho no Céu de Teresina" é desenvolvido pelo IFPI-DIREX/THC/GSS. Crédito: Danilo Alefe.

Um dos Telescópios usados no projeto e em segundo plano a Lua – O projeto “De Olho no Céu de Teresina” é desenvolvido pelo IFPI-DIREX/THC/GSS. Crédito: Danilo Alefe.

 

Foto da Lua - O projeto "De Olho no Céu de Teresina" é desenvolvido pelo IFPI-DIREX/THC/GSS. Crédito: Danilo Alefe.

Foto da Lua, tirada durante o evento – O projeto “De Olho no Céu de Teresina” é desenvolvido pelo IFPI-DIREX/THC/GSS. Crédito: Danilo Alefe.

 O projeto "De Olho no Céu de Teresina" é desenvolvido pelo IFPI-DIREX/THC/GSS. Crédito: Danilo Alefe.

O projeto “De Olho no Céu de Teresina” é desenvolvido pelo IFPI-DIREX/THC/GSS. Crédito: Danilo Alefe.

eu e a joyce

Joyce Ravena, Edward Montenegro (GSS) -O projeto “De Olho no Céu de Teresina” é desenvolvido pelo IFPI-DIREX/THC/GSS. Crédito: Danilo Alefe.

REGINA IBIAPINA

Profª Francisca Regina, coordenadora de astronomia do projeto Cidade Olímpica Educacional – O projeto “De Olho no Céu de Teresina” é desenvolvido pelo IFPI-DIREX/THC/GSS. Crédito: Danilo Alefe.

 

Gilson Silva e Edward Montenegro, Fazendo o teste dos equipamento– O projeto “De Olho no Céu de Teresina” é desenvolvido pelo IFPI-DIREX/THC/GSS. Crédito: Danilo Alefe.

Gilson Silva e Edward Montenegro, Fazendo o teste dos equipamentos– O projeto “De Olho no Céu de Teresina” é desenvolvido pelo IFPI-DIREX/THC/GSS. Crédito: Danilo Alefe.

Francisco Peixoto, fazendo observação – O projeto “De Olho no Céu de Teresina” é desenvolvido pelo IFPI-DIREX/THC/GSS. Crédito: Danilo Alefe.

Francisco Peixoto, fazendo observação – O projeto “De Olho no Céu de Teresina” é desenvolvido pelo IFPI-DIREX/THC/GSS. Crédito: Danilo Alefe.

Estudantes participando da observação – O projeto “De Olho no Céu de Teresina” é desenvolvido pelo IFPI-DIREX/THC/GSS. Crédito: Danilo Alefe.

Estudantes participando da observação – O projeto “De Olho no Céu de Teresina” é desenvolvido pelo IFPI-DIREX/THC/GSS. Crédito: Danilo Alefe.

 

Participação da GSS no dia da Física comemorado no IFPI

Nesta Terça-feira dia 19 de Maio de 2015, integrantes da GSS (Graviton Scientific Society), participaram apresentando trabalhos no dia da Física, que aconteceu no IFPI-Teresina central.

DIA DA FISICA

Evanilde Fernandes, Gilson silva e Francisco Peixoto Neto, representantes da GSS que participaram no dia da Física que aconteceu no IFPI-Teresina Central

Um pouco de Historia

-Em 2005 foi declarado pela UNESCO como Ano Internacional da Física, em homenagem aos 100 anos das publicações dos artigos revolucionários de Albert Einstein. Em 1905 Einstein publicou o artigo que explicou o efeito fotoelétrico e introduz o conceito do fóton (o quantum de luz), explicou a origem do movimento Browniano (movimento de partículas em suspensão em um líquido), reforçando a hipótese da existência dos átomos, que naquele momento não estava bem estabelecida ainda. Contudo, os mais famosos foram os artigos que ele apresentou a Teoria da Relatividade Restrita e a equivalência entre massa e energia, a famosa equação: E=mc2

_No dia 19 de maio de 2005 a Sociedade Brasileira de Física declarou o dia 19 de maio como o dia da Física, devido ao fato de 19/05 lembrar o ano 

de 1905.

– No IFPI-Teresina central será comemorado pela primeira vez o dia da física, dito evento é promovido pelo Centro Acadêmico de Física Prof. Etevaldo Valadão junto com a coordenação do curso de Física e o PIBID.

Entre os participantes da GSS estão Gilson Silva (Vice-presidente institucional-GSS) que ministrou a palestra intitulada “ A didática de Richard Feynman”, enquanto  Evanilde Fernandes (Tesoureira-GSS) dirigiu e atuo na peça teatral intitulada “Um recreio jamais visto”  e finalmente Francisco Peixoto Neto (Secretario-GSS) fez uma demostração experimental do movimento oblicuo. Confira as Fotos.

WP_20150519_051

Francisco Peixoto Neto_ Experimento sobre movimento oblicuo. Créditos GSS/Ensino.

WP_20150519_039

Estudantes que participaram do dia da Física, escutam atentamente a explicação sobre o movimento oblicuo. Créditos: GSS/Ensino

WP_20150519_014

Peça teatral “Um recreio nunca vissto” dirigida por Evanilde Fernandes, apresentada no dia da Física no IFPI-Teresina Central. Créditos: GSS/Ensino

WP_20150519_011

Peça teatral “Um recreio nunca vissto” dirigida por Evanilde Fernandes, apresentada no dia da Física no IFPI-Teresina Central. Créditos: GSS/Ensino

WP_20150519_008

Gilson Silva minisstrado a palestra ” A didatica de Richard Feynman no dia da Física, que aconteceu no IFPI-Teresina Central. Créditos: GSS/Ensino.

WP_20150519_004

Gilson Silva minisstrado a palestra ” A didatica de Richard Feynman no dia da Física, que aconteceu no IFPI-Teresina Central. Créditos: GSS/Ensino.

WP_20150519_016

Peça teatral “Um recreio nunca vissto” dirigida por Evanilde Fernandes, apresentada no dia da Física no IFPI-Teresina Central. Créditos: GSS/Ensino

A equipe da GSS aproveita a oportunidade para  dar os Parabéns antecipados para todos os físicos do mundo!

Uma breve conversa com Manel Rosa: O físico literário

 

Manel Rosa Martins. Foto  -reprodução

Manel Rosa Martins. Foto -reprodução

 

Manel Rosa Martins é, o mais novo Sócio de Honra da   Graviton Scientific Society , pós-graduado em Economia e Gestão de Ciências pelo Chartered Institute of Linguists. Pós-graduado em Economia e Gestão, e em Ciência Computacional na The Open University, no Reino Unido. É doutorando de Física de Partículas  dedica-se à abordagem da Mecânica Digital. De personalidade forte e habilidade surpreendente em consciliar a literatura à física além do bom humor, Manel Rosa concedeu uma pequena entrevista aos colaboradores do GSS. Confira!

 1) Para início preciso que me fale um pouco sobre você – mais precisamente sobre seu trabalho – sua formação acadêmica, suas pós graduações (em que elas contribuirão à sua carreira?), já concluiu seu doutorado em Física de Particulas ( com abordagem em Mecânica Digital)? Comente um pouco sobre o assunto.

Falar de mim não sei o que possa ter de interessante, sou um conjunto de átomos reunidos em moléculas, uma mistura de implosões e de explosões de estrelas enormes e doutras mais singelas.

No astropt.org, eleito o blogue do ano em Ciências em Portugal, digo que pratico uma modalidade de desporto sem nome, que é a de nadar à noite em pleno oceano, para poder ver o fitoplâncton em bioluminescência a iluminar por debaixo e as estrelas a iluminar por cima.

Mete um medo aterrador, de noite no oceano, só se pensa nas parvoíces dos filmes de hollywood, com monstros devoradores e com mau feitio, mas depois reconhecer as constelações familiares faz-me esquecer o medo, e tenho que ser tirado da água porque passado o choque do medo sinto-me bem e já não quero sair.

O meu melhor são 4.100 metros de profundidade de água salgada por debaixo e 13.82 mil milhões, ou bilhões, como dizem no Brasil, (se se usar Giga-anos todos se entendem), de Universo por cima.

Está a entender-me, água, ar e espaços entre as estrelas, fico muito curioso para saber quantas fases da matéria terá o Universo. E fico espantado com o facto de estar a olhar para o passado quando olho as estrelas, olho o passado e avanço no futuro.

Estava um pouco perturbado com isso, é muito anti-intuitivo. Felizmente li há pouco tempo um paper de mecânica quântica que admite este estado de sobreposição do tempo, para trás e para a frente em simultâneo, senão logo explicável duma forma simples, pelo menos presente numa 4ª camada da cebola matemática que esses teóricos cinzelaram. É um trabalho muito interessante do Bryan W. Roberts, da LSE em Londres sobre como se processa a observação de objectos em função do tempo, isto em sistemas dinâmicos.

Ele partiu dum trabalho de geometria dum matemático seu colega que o tinha apresentado em Zurique, na Sociedade Europeia de Matemática.

Ora se o Universo está presente em tudo nas nossas vidas, ele reflete-se quando olhamos para um relógio. Ele sim, nós é que atribuímos, parece, pouco tempo para essas reflexões.

Por exemplo não fazemos a mínima ideia porque nos dá a matemática estes textos universais, com relógios incluídos em formas geométricas. Porque é a matemática e não uma outra ação humana, como a arte ou a ficção? Não sei, por isso interessa-me, e muito.

Olhe se temos 13.82 Giga-anos de Universo falo da sua idade, do que poderemos observar para trás, mas sabemos que o Universo é bem maior do que a sua idade. Entra a inflação nessas contas. E entra uma expansão do espaço mais rápida do que a luz.

Pode entender agora porque não queria voltar para o barco?

Como você conheceu o Graviton Scientific Society (GSS) ?

A Gráviton Scientific Society está hoje institucionalizada com a aprovação dos seus Estatutos, e tem desenvolvido todo o conceito de Divulgação e Educação Científicas que são oficialmente subscritas e encorajadas pelo IOP – Institute of Physics, do Reino Unido, de que sou membro. Quando o Ramon Abreu e o Edwardo Montenegro me mencionaram o ainda Projeto Gráviton, eu senti desde o primeiro elenco de objetivos que eles traçaram que tudo batia certo. O Gilson Silva também esteve na génese do Projeto.

Vi logo muito entusiasmo, mas temperado no que é possível executar na realidade, muita noção da importância da Astronomia, da Astrofísica e a da Física de Partículas no Ensino, em todos os níveis do Ensino. Para ser sincero eu adorei isso de “todos os níveis.” Eu advogo que até a Mecânica Quântica seja ensinada desde a infância, com recurso a jogos, pequenos vídeos e tiras de BD.

Dou Palestras a crianças de 6 anos de Idade, são super-interessadas, tudo que tem que se adaptar são os nomes das galáxias, galáxia da pipoca, galáxia floco de neve, um rapaz até sugeriu galáxia dos tubarões.

Conhecemos-nos virtualmente nas redes sociais e na blogo-esfera da Divulgação das Ciências, eles são há muito seguidores de páginas como o AstroPt e de grupos dedicados à Física. Algumas Professoras de Física do Brasil, onde destaco a Professora Cibelle Sidney facilitaram as apresentações, sobretudo quando colocavam questões de Cosmologia ou dos Bósons, como o fotão da luz ou do Higgs do mecanismo da Massa.

Como você qualifica sua experiência no Conexão Cósmica I ?

 Eles desfiaram-me para dar uma Palestra numa das primeiras grandes iniciativas do Projeto Gráviton, a Conexão Cósmica,e tudo correu muito bem desde os primeiros ensaios, a escolha dos tópicos, até afinámos o modo mais correto de eu falar, que tinha que ser mais devagar, sou muito entusiasmado e teria que ser mais sereno para as pessoas entenderem o meu sotaque europeu, eu achei isso muito bom, eles me ensinarem isso, como linguista fiquei fascinado.

Quais suas expectativas em relação ao GSS?
Foi e está a ser um experiência incrível a Graviton Sientific Society. Tive um feed-back muito engraçado dessa Palestra, e depois participei noutro Projeto, a da Cartilha do Sistema Solar, e tive muito empenho e, confesso, um um enorme prazer em contribuir com a parte do Ganímedes, um deus-rapaz da mitologia grega que deu o seu nome a uma Lua de Júpiter, uma que tem um oceano de água salgada no seu interior, talvez haja lá vida microbial.

Seria fantástico que os estudantes que leiam essa cartilha um dia escolham ser Cientistas.

São essas as minhas expectativas, alguém que eu não conheço, um dia, fica entusiasmado ou entusiasmada com o que viu graças à GSS, por exemplo numa sessão de astronomia possibilitada pelos novos aparelhos que a GSS adquiriu e se torne uma pessoa melhor, mais rica de conhecimento, por causa disso.

Sabe, ficaria mesmo inteiramente realizado se isso suceder.

Um abraço de amizade e de admiração para todos aí.

Manel Rosa Martins
Físico de Partículas.

No dia 25 de Abril acontece o 2° TERESINA HACK DAY!

11092610_991503760861645_1487392889_n

No dia 25 de Abril de 2015, será realizado o 2° Teresina Hack Day, organizado pelo Teresina Hacker Clube e a APISoL.

Nesta edição  O THD será durante todo o dia e acontecerá simultaneamente ao FLISoL.

O Festival Latino-americano de Instalação de Software Livre (FLISoL) é o maior evento da América Latina de divulgação de Software Livre. Ele é realizado desde o ano de 2005, e desde 2008 sua realização acontece no 4o. sábado de abril de cada ano. Seu principal objetivo é promover ouso de Software Livre, mostrando ao público em geral sua filosofia, abrangência, avanços e desenvolvimento.

Assim como na primeira edição, o Teresina Hack Day contará com algumas curtas palestras sobre Hacking, Cultura Hacker, Cyberativismo, DIY, Arduino, astronomia… e muito mais!

Nesta edição a Graviton Scientific Society (GSS) Participara com uma palestra sobre o Telescópio Espacial Hubble.

11046457_778386302239702_3323160377290454491_n

O Telescópio Espacial Hubble é, sem dúvida, uma das missões espaciais de maior impacto junto à opinião pública. As impressionantes imagens do Universo por ele obtidas já se tornaram parte do nosso legado científico e cultural. Elas não são apenas belas mas carregadas de conteúdo científico. Um exemplo é o das imagens de campo profundo que revelam jovens galáxias nascendo na aurora dos tempos há poucas centenas de milhões de anos após o Big-Bang.

Neste mês de Abril, o Hubble Space Telescope completará 25 anos em órbita! E é mais do que lógico que não poderíamos deixar esta data tão importante passar em branco! 

Durante o 2° Teresina Hack Day, o professor Irapuan Filho, sócio da GSS e professor de Física do IFMA, falará sobre vários aspectos do famoso telescópio espacial, bem como

algumas de suas inúmeras descobertas.

Para maiores informações entre em contato com a equipe do THC

 

Fonte: THC/ApISol