Os quatro projetos de satélites da cidade de Teresina, selecionados na OBSAT, tem como orientador um sócio efetivo da GSS.

A GSS é a única instituição científica do estado do Piauí a elaborar um projeto para o desenvolvimento de uma sonda para o estudo da estratosfera usando tecnologias que são utilizadas na exploração do espaço.

As equipes: Programa Cidade Olímpica Educacional, Programa Cidade Olímpica Educacional  2, Sinfonia Cósmica e Missão The X sob orientação do professor Edwar Dávila Montenegro que é um sócio efetivo da Graviton Scientific Society desde sua fundação até os dias atuais, tiveram seus projetos aprovados e selecionados para receber gratuitamente um kit de montagem de um CubeSat e dois Sansat do Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação do governo federal  (MCTI). Sendo que a Equipe Programa Cidade Olímpica Educacional já recebeu o Kit como premiação de ter ocupado o primeiro lugar nacional no desafio de Sátelites e Inteligência artificial na 17ª Semana Nacional de Ciência e Tecnologia- 2020 do MCTI.

As outras três equipes ficaram em Primeiro e Segundo lugar do estado do Piauí na modalidade Ensino Fundamental e Primeiro Lugar na modalidade Ensino Médio ou técnico respectivamente. Todas as equipes do Ensino fundamental II pertencem a alunos de escolas publicas da cidade de Teresina e a Equipe de Ensino Médio é formada por alunos de uma escola da Rede privada de ensino.

Um CubeSat ( espaçonave classe U ) é um tipo de satélite miniaturizado para pesquisa espacial e pode ser composto de um módulo ou vários módulos cúbicos de 10 cm × 10 cm × 10 cm. Um CubeSats deve ter uma massa de não mais do que 1,33 kg (2,9 lb), por unidade. Por outro lado um CanSat é um tipo de carga útil de foguete de sondagem usado para ensinar tecnologia espacial. É semelhante à tecnologia usada em satélites miniaturizados. Porém Nenhum CanSat jamais deixou a atmosfera, nem orbitou a Terra. Nas competições CanSat, a carga útil deve caber dentro do volume de uma lata de refrigerante típica (66 mm de diâmetro e 115 mm de altura) e ter uma massa inferior a 350g.

As propostas enviadas pelas equipes são o uso de uma constelação de CubeSat’s para estudar o desmatamento ilegal e queimadas florestais ao longo do Território Brasileiro. O uso de um Cansat para estudar o clima espacial numa região do espaço próxima à linha do equador terrestre. A equipe conexão cósmica submeteu um projeto com a ideia de utilizar um CanSat para estudar a dinâmica atmosférica sobre o estado do Piauí. E a equipe Missão The X submeteu um projeto com a ideia de monitorar e fiscalizar com o intuito de contribuir para um desenvolvimento sustentável para o estado do Piauí.

A Olimpíada Brasileira de Satélites MCTI é uma Olimpíada Científica de abrangência nacional, concebida pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações, e organizada pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) em conjunto com a Agência Espacial Brasileira (AEB/MCTI), o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE/MCTI) e a Escola de Engenharia de São Carlos (EESC), da Universidade de São Paulo (USP).

Adicionar a favoritos link permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *