Hoje comemoramos mais um Darwin Day

Charles Robert Darwin (1809 – 1882) foi um naturalista nascido no Reino Unido reconhecido mundialmente por sua contribuição para a ciência com seu trabalho sobre a evolução das espécies. A partir de seus estudos foi desenvolvida a teoria da evolução das espécies, que explica como as diferentes espécies de seres vivos se desenvolveram ao logo de milhões de anos.

Por ser naturalista, Darwin foi convidado a participar da viagem ao redor do mundo feita pelo navio Beagle, que durou quatro anos e nove meses. Nessa viagem, Charles Darwin chegou na costa brasileira, mas seguiu viagem para a Patagônia, ilhas Malvinas, ilhas Galápagos, Nova Zelândia, Maldivas, entre outros lugares, além de toda a costa ocidental da América do Sul, indo do Chile ao Peru. O naturalista observou diversas espécies de animais e vegetais durante a viagem, coletou fósseis e observou também diversos fenômenos geológicos (erupções e terremotos, por exemplo.

Com as observações, Darwin percebeu que um determinado animal apresentava características distintas de uma região a outra. Tal observação levou o naturalista a supor que os seres vivos não eram imutáveis como fortemente se acreditava naquele período (corrente chamada de fixismo ou fixismo das espécies, vinda do criacionismo). Com essas informações, Darwin passou a se questionar o motivo de os seres vivos apresentarem características passíveis de transformação e chegou a conclusão de que a luta pela vida que levava os seres vivos a se adaptarem. Futuramente esse conceito foi amadurecido por Darwin, que chegou a conclusão de que apenas os seres que estejam adaptados a uma determinado condição do ambiente sobrevivem e passam esta característica para as próximas gerações. Entretanto vale ressaltar que não existiam até então os conceitos de genes, material genético e etc, descobertos vários anos depois da morte de Charles Darwin.

Em 1859, Darwin publicou seu livro mais conhecido chamado A origem das espécies, no qual resumiu seus estudos sobre a origem as espécies através do mecanismo da seleção natural ou preservação de características favorecidas na luta pela sobrevivência. Devido a forte crença no fixismo das espécies, sua obra causou grandes discussões e polêmicas na época. Com a descoberta dos genes, hoje suas ideias são mais aceitas e suas obras são referência na comunidade científica.

Darwin morreu em 1882 vítima de um ataque cardíaco, mas representou um marco para a história da ciência, dedicando toda a sua vida na atividade científica e contribuindo de forma gigantesca para a compreensão dos mecanismos envolvidos no processo de evolução dos seres vivos.

Autor: Emanoel Vieira da Silva

Profile photo of Edward Montenegro

Sobre Edward Montenegro

Estudante do Curso de Física pelo IFPI
Adicionar a favoritos link permanente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *