À procura do cometa Neowise no céu de Teresina

Uma equipe da Graviton Scientific Society consegue observar com exito o cometa Neowise em 22/07/2020.

CONSTRUÇÃO DA CIÊNCIA A PARTIR DE OBSERVAÇÕES CUIDADOSAS

Contemplar a natureza sempre é um evento ímpar. Presenciar as leis da Física em ação nos faz agradecer o trabalho de pensadores e cientistas ao longo dos séculos.

Aristarco de Samos, astrônomo e matemático grego, por volta do século III a. C., conseguiu determinar o tamanho da Lua a partir da sombra da Terra na Lua, durante um eclipse lunar.

Os físicos Gilson Silva e Francisco Peixoto durante a observação do cometa Neowise. Créditos: Graviton Scientific Society

Tycho Brahe, astrônomo dinamarquês, construiu o melhor observatório da era pré-telescópica e fez diversas observações astronômicas anotando dados em tabelas. Dados estes extremamente precisos para observações sem qualquer instrumento óptico.

Johanes Kepler, matemático alemão, contemporâneo de Tycho Brahe, com uma habilidade matemática fora do comum e a partir das tabelas de Tycho Brahe consegue deduzirt as leis dos movimentos planetários, hoje conhecidas como as Leis de Kepler. Estes são alguns exemplos de como a Ciência é construída ao longo dos séculos.

EQUIPE DA GSS CONSEGUE OBSERVAR O COMETA NEOWISE

Realizamos a observação na tarde do dia 22 de julho. Iniciamos a montagem do telescópio as 17h: 30 min. Em uma região aberta do aeroporto internacional de Teresina sobre prévia autorização da direção do referido aeroporto e seguindo todas as recomendações das autoridades sanitárias e da Organização Mundial De Saúde no que diz respeito à pandemia da Covid 19.


Os físicos Francisco Peixoto e Edward Montenegro durante a observação do cometa Neowise. Créditos: Graviton Scientific Society

Com o propósito de evitar aglomerações, apenas três integrantes de nossa equipe estiveram presentes nesta observação, todos utilizando máscaras e respeitando o distanciamento social e com o telescópio adequadamente higienizado.

No geral tratou-se de uma atividade das mais desafiadoras que temos notícia. A região da cidade de Teresina, nesta época do ano, não dispõe de um céu propício para observação em virtude de queimadas muito frequentes. Tentamos sem sucesso até as 19 horas, algumas nuvens bloqueavam parte da região do céu no qual o cometa estaria passando. Ainda outro fator nos atrapalhou nesta observação foi o fato de o cometa está passando quase que na linha do horizonte e após o horário das 19 horas as luzes da cidade atrapalhavam nossa observação.

Foto do cometa Neowise. A foto foi feita com um Smartphone a partir da ocular de um telescópio de 90 mm
Créditos: Graviton Scientific Society

Mas compreendemos que atividades científicas de fato tem suas características e dificuldades inerentes, que de certa forma estamos acostumados a lidar. Nossa intenção seria conseguir fotos do cometa a partir da lente ocular do telescópio refrator de 90 milímetros de abertura a partir da câmera de um telefone celular de um de nossos integrantes.

Para nossa felicidade conseguimos visualizar o referido cometa por volta das 19:15. No entanto, por seu fraco brilho e por conta da poluição luminosa não conseguimos tirar a foto que desejávamos. Nós até conseguimos uma foto, mas esta não ficou nítida. No entanto, nossa equipe (Gráviton Scientific Society) não desiste assim tão fácil, continuaremos à caça do cometa nos próximos dias, mesmo sabendo que a cada dia a sua visualização ficará cada vez mais difícil, pois o cometa já está em seu caminho de volta, portanto afastando-se cada vez mais do Sol. Continuaremos tentando até o dia 30 de Julho, que é a previsão de visualização do cometa a partir de nosso planeta.

Francisco Peixoto, membro da Gráviton Scientific Society desde sua fundação no ano de 2014 relata acerca da observação do cometa N:

“A Lua estava com muito boa visibilidade e seguindo orientações repassadas pelos outros membros da GSS, após uma certa insistência… Edward (com sua habilidade admirável) conseguiu visualizar, confirmamos eu e Gilson que a imagem correspondia a algo diferente de tudo que já observamos, com cuidado e a configuração certa do celular consegui fotografar. Busquei as fotos que tinha recebido ontem e ao comparar na mesma proporção…. tive certeza que conseguimos, visualizamos e fotografamos o COMETA, desmontamos o esquipamento e ao verificar os comentários de outros que buscavam a observação e fotos, comemoramos nossos esforços foram recompensados!”

A Gráviton Scientific Society compartilha e incentiva trabalhos colaborativos para o progresso da Ciência. Desta forma se constrói o conhecimento científico, tijolinho por tijolinho, geração após geração.

O dia 22 de Julho de 2020 ficará marcado na história de nossa Sociedade Científica pela tentativa, com sucesso, de observar a passagem do cometa Neowise.

Para saber mais detalhes sobre o cometa Neowise leia a matéria produzida em nosso site neste link https://gss1.org/site/?p=1011.

Após estes resultados, finalizamos as observações no horário das 19:40 já ansiosos por futuras observações e ainda aguardando a oportunidade contemplarmos a natureza em seu mais puro esplendor.

REFERÊNCIAS

http://plato.if.usp.br/1-2003/fmt0405d/apostila/helen8/node16.html
https://jornal.usp.br/atualidades/tycho-brahe-revolucionou-a-astronomia-muito-antes-do-telescopio/
https://revistagalileu.globo.com/Sociedade/Historia/noticia/2020/01/quem-foi-johannes-kepler-um-dos-astronomos-mais-importantes-da-historia.html

Semana Mundial do Espaço 2020

Em reunião realizada por membros da Graviton Scientific Society, no dia 20 de julho de 2020, foi discutido a possibilidade da realização da Semana Mundial do Espaço 2020.

A Semana Mundial do Espaço é uma celebração internacional da contribuição da ciência e tecnologia espacial para o melhoramento da condição humana. Foi oficialmente declarada pelas Nações Unidas como sendo, anualmente, a semana de 4 a 10 de Outubro. Durante a Semana Mundial do Espaço, ocorrem em todo o mundo vários eventos e programas educacionais relacionados com o espaço.
A sincronização de eventos atrai a cobertura pelos meios de informação, que contribui para a educação do público em relação à exploração do espaço.

As datas que delimitam a Semana Mundial do Espaço comemoram acontecimentos marcantes da era espacial: no dia 4 de Outubro de 1957 foi lançado o Sputnik I, o primeiro satélite terrestre construído pelo homem. O Tratado de Exploração Pacífica do Espaço Exterior foi assinado pelos estados membros da ONU no 10 de Outubro de 1967.

A Graviton Scientific Society já organizou este mesmo evento no ano de 2016 (confira a matéria), na ocasião foi realizado no no IFPI – Teresina Central. Mas, devido ao afastamento social este ano a ideia é realizar o evento online, no qual serão apresentadas palestras, oficinas, entre outros.

PASSAGEM DO COMETA NEOWISE

Sempre é bom apreciar as maravilhas do Universo, ainda mais quando são, de certa forma, raras de se ver: um exemplo é o C/2020 F3 (NEOWISE) ou “Cometa Neowise”. Foi descoberto em 27 de março de 2020 pelo telescópio espacial NEOWISE (daí o nome). Trata-se de um objeto de aproximadamente 5 km de diâmetro, viajando a 231.000 km/h, com órbita retrógrada, de longo período (aproximadamente 6.800 anos), e trajetória praticamente parabólica. Para o Brasil, durante os próximos dias, mais especificamente a partir do dia 22 de julho de 2020, estará com boa magnitude e a uma distância aproximada de 103 milhões de km da Terra, podendo ser observado à vista desarmada (“olho nú”, em locais extremamente escuros e sem poluição visual), ou através de instrumentos tipo binóculos, lunetas, telescópios, etc., sempre ao Noroeste, próximo ao pôr do Sol (este último, tão belo quanto a passagem do cometa!!!!!).

Créditos: @NASASOLARSYSTEM

Cabe salientar que, para uma boa observação, é bom ficar atento a algumas dicas, tais como procurar um horizonte limpo, sem obstáculos tipo edificações, ou até mesmo se afastar da cidade, visando o mínimo de poluição visual, e tomando os devidos cuidados com o distanciamento social (afinal de contas, estamos atravessando uma pandemia!!!). Ferramentas computacionais (softwares ou aplicativos) tais como o Skywalk, Starchart ou Stellarium podem ajudar bastante.

Por Jussiê Soares (GSS)

GRAVITON MARCA PRESENÇA NO XXII ENAST

Créditos: XXII ENAST

Os Encontros Nacionais de Astronomia, ENASTs, reúnem astrônomos profissionais, amadores, entusiastas, estudantes e educadores com o objetivo de compartilhar experiências e pesquisas para o desenvolvimento e difusão da Astronomia no Brasil. São realizados anualmente desde 1998, e organizados por comissões locais compostas por grupos e associações de astrônomos com o apoio de um conselho nacional, e realizados sempre no mês de novembro de cada ano, preferencialmente, aproveitando os feriados. Nos eventos, são apresentadas palestras de pesquisadores renomados, trabalhos acadêmicos, oficinas, minicursos, exposições de pôsteres, astrofotografias, instrumentos, observações com auxílio de telescópios, lunetas, etc., apresentações artísticas, dentre outros.

Os ENASTs constituem eventos que despertam também grande interesse do público e dos meios de comunicação local. Visando o apoio a eventos desse porte, bem como a projeção e divulgação do grupo e da Astronomia, o grupo Graviton Scientific Society (GSS) participou da 22ª edição do ENAST na cidade de Sobral, estado do Ceará, entre os dias 14 e 17 de novembro. Na oportunidade foram apresentados trabalhos, como o “Observatório Intinerante“, desenvolvido pelo professor Jussiê Soares (membro do grupo e professor do IFMA Campus Coelho Neto), em conjunto com seu aluno de Iniciação Científica, Rodrigo Pereira, à época financiados pela FAPEPI (http://www.fapepi.pi.gov.br/), bem como desenvolvidos minicursos, como o intitulado “O USO DE CUBOS MESCLADOS COM HOLOGRAMAS E REALIDADE AUMENTADA COMO PROPOSTA INTERDISCIPLINAR“, ministrado pelos membros Edwar Davila Montenegro, Francisca Regina Ibiapina Costa, Maria do Desterro Silva Barbosa (Graviton Scientific Society / Programa Cidade Olímpica Educacional) – PI e outro intitulado “CRIANDO PEQUENAS ANIMAÇÕES DO SISTEMA SOLAR COM O SCRATCH“, ministrado pelos membros Edwar Davila Montenegro, Mailson Barroso, Francisco Peixoto da Mota Neto, Gilson Alves da Silva. De fato, o GSS comprovou a integração dos diversos apoiadores dessa ciência, e o esforço para que a Astronomia ganhe cada vez mais adeptos.

Apresentação de pôster (Professor Jussiê Soares)

NOTA: Para o ano de 2020, o ENAST sofreu alterações, em virtude da pandemia de Covid-19 e das medidas de distanciamento social. Seria sediado na Fundação CEU na Cidade de Brotas/SP, no mês de Novembro. A Fundação CEU afirmou que a nova data será definida, assim que as atividades presenciais puderem ser retomadas, e divulgada logo que possível, nesta ocasião, realizarão uma ampla divulgação.

SEMANA MUNDIAL DO ESPAÇO

A Semana Mundial do Espaço é uma celebração internacional da contribuição da ciência e tecnologia espacial para o melhoramento da condição humana. Foi oficialmente declarada pelas Nações Unidas como sendo, anualmente, a semana de 4 a 10 de Outubro. Durante a Semana Mundial do Espaço, ocorrem em todo o mundo vários eventos e programas educacionais relacionados com o espaço.
A sincronização de eventos atrai a cobertura pelos meios de informação, que contribui para a educação do público em relação à exploração do espaço.
As datas que delimitam a Semana Mundial do Espaço comemoram acontecimentos marcantes da era espacial: no dia 4 de Outubro de 1957 foi lançado o Sputnik I, o primeiro satélite terrestre construído pelo homem. O Tratado de Exploração Pacífica do Espaço Exterior foi assinado pelos estados membros da ONU no 10 de Outubro de 1967.

Neste ano será a primeira vez que o evento é comemorado em Teresina, do dia 04 de outubro ao dia 10, no IFPI – Teresina Central.

PROGRAMAÇÃO

Dia 04 de Outubro

17h – Credenciamento

18h Palestra 01

19h-Palestra 02

20h- Observação Astronômica

Dia 05 de Outubro

18h – Palestra 03

19h- Palestra 04

20h- Observação Astronômica

Dia 06 de Outubro

18h – Palestra 05

19h- Palestra 06

20h- Observação Astronômica

Dia 07 de Outubro

18h – Palestra 05

19h- Palestra 06

20h- Observação Astronômica

Teresina é representado em Encontro de Física e Astronomia da UFSC

12814807_1001701053233339_4517707427859238281_n

João Evangelista Steiner e Edward Montenegro

12794397_1001701049900006_2939327677145800323_n (1)

Edward Montenegro, falando do projeto “De olho no céu de Teresina”, durante seminário na UFSC

O estudante Edwar Montenegro, do curso de Licenciatura em Física do Campus Teresina Central e atual presidente de GSS, foi destaque no IV Encontro de Física e Astronomia, ocorrido de 22 a 26 de fevereiro, no Campus Florianópolis da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

Com a orientação do professor do IFPI-Teresina Central, Ayrton Vasconcelos Lima, Montenegro apresentou o seminário “A Observação Astronômica como Ferramenta Motivadora para o Ensino-Aprendizagem em Física”. Ele foi o único estudante da graduação a apresentar trabalho na categoria seminários.

O interesse dos participantes do evento sobre o trabalho se deu devido à forma simples como é feita a abordagem do estudo de física, utilizando o céu como laboratório para observar e discutir alguns fenômenos e leis da física. Edwar fundamentou seu estudo nas experiências realizadas no projeto “De Olho no Céu de Teresina” desenvolvido no Campus Teresina Central.

 

Fonte: IFPI

2ª Edição do projeto “De olho no céu de Teresina”, tem recorde de público adolescente

A 2ª Edição do projeto “De olho no céu de Teresina” aconteceu no sábado 27 de junho de 2015 e teve como atrativos principais para se observar a Lua, Júpiter, Vénus e Saturno.

Nesta edição teve como convidados especiais alunos de escolas da rede municipal de ensino de Teresina, alunos do IFPI, entre outros. O evento foi realizado no horário entre as 18:00 e 21:00 horas, no estacionamento do prédio B do IFPI- Teresina Central.

Lembrando mais uma vez para os amantes da astronomia que:Durante as atividades de observação acontecem explanações sobre a história e uso do telescópio, bem como descrições sobre os corpos celestes a serem observados.

As observações são abertas ao público (menores de 15 anos devem ser acompanhados por responsável) e acontece duas vez por mês, no sábado. Para cada dia de observação serão ofertadas 30 vagas, no horário de 17 às 21 horas. Inscrições serão realizadas através deste link http://gss1.org/site/?page_id=492#comment-30; E-mail:[email protected] ou no telefone: (86) 98871-5379.

 

 

 

002

De olho no céu de Teresina, é um projeto desenvolvido pelo IFPI/THC/GSS

003

De olho no céu de Teresina, é um projeto desenvolvido pelo IFPI/THC/GSS

005

De olho no céu de Teresina, é um projeto desenvolvido pelo IFPI/THC/GSS

006

De olho no céu de Teresina, é um projeto desenvolvido pelo IFPI/THC/GSS

007

De olho no céu de Teresina, é um projeto desenvolvido pelo IFPI/THC/GSS

010

De olho no céu de Teresina, é um projeto desenvolvido pelo IFPI/THC/GSS

IFPI-DIREX, THC E GSS COLOCAM UM NOVO MARCO NA ASTRONOMIA AMADORA EM TERESINA

DE OLHOS NO CEU DE TERESINA

 

 

Neste sábado 30 de Maio de 2015, aconteceu a primeira de uma série de observações astronômicas que serão realizadas pelo projeto “de olhos no céu de Teresina” desenvolvido pelo IFPI/DIREX-TERESINA CENTRAL, TERESINA HACKER CLUBE E GRAVITON SCIENTIFIC SOCIETY. O evento aconteceu no estacionamento do prédio B do IFPI-Teresina Central no horário de 18:00 as 21:00 horas, no qual foram disponibilizados 4 telescópios para atender ao publico que esteve presente. Este evento simboliza o inicio de um longo caminho a ser percorrido na Astronomia em nosso estado. O Projeto ” de Olho no Céu de Teresina” é o primeiro passo para uma serie de projetos a serem realizados ao longo dos anos numa parceria entre a GSS, THC e outras instituições publicas e privadas, que serão anunciados em breve.

O evento contou com a presença de diversas pessoas além da equipe da Graviton Scientific Society e Teresina Hacker Clube . Dentre elas a professora Ana Claudia, representando a Diretoria de Extensão do IFPI-Teresina Central, o Secretario municipal de Educação de Teresina Kleber Montezuma juntamente com outras pessoas (adultos e crianças).

O projeto ” de Olho no Céu de Teresina” tem como objetivos aproximar mais a sociedade da ciência, incentivando os alunos que estão começando os cursos nas áreas de ciência a se dedicar à astronomia, desenvolvendo assim,  ferramentas, métodos e materiais didáticos que possam ser usados posteriormente por professores em sala de aula.

Para participar, basta preencher o formulário disponibilizado neste site e acompanhar a marcação da próxima data de observação.

FAÇA SUA INSCRIÇÃO AQUI

CONFIRA AS IMAGENS!

Arthur Montenegro, fazendo observação - O projeto "De Olho no Céu de Teresina" é desenvolvido pelo IFPI-DIREX/THC/GSS. Crédito: Danilo Alefe.

Arthur Montenegro, fazendo observação – O projeto “De Olho no Céu de Teresina” é desenvolvido pelo IFPI-DIREX/THC/GSS. Crédito: Danilo Alefe.

O secretário municipal de Educação, Kleber Montezuma , participando da observação astronomica - O projeto "De Olho no Céu de Teresina" é desenvolvido pelo IFPI-DIREX/THC/GSS. Crédito: Danilo Alefe.

O secretário municipal de Educação, Kleber Montezuma , participando da observação astronomica – O projeto “De Olho no Céu de Teresina” é desenvolvido pelo IFPI-DIREX/THC/GSS. Crédito: Danilo Alefe.

 

Francisco Peixoto Neto(GSS) - de Fundo o Planeta Júpiter- Projeto "De Olho no Céu de Teresina" desenvolvido pelo IFPI-DIREX/THC/GSS. Crédito: Danilo Alefe.

Francisco Peixoto Neto(GSS) – de Fundo o Planeta Júpiter- Projeto “De Olho no Céu de Teresina” desenvolvido pelo IFPI-DIREX/THC/GSS. Crédito: Danilo Alefe.

 

Um dos Telescópios usados no projeto  e em segundo plano a Lua - O projeto "De Olho no Céu de Teresina" é desenvolvido pelo IFPI-DIREX/THC/GSS. Crédito: Danilo Alefe.

Um dos Telescópios usados no projeto e em segundo plano a Lua – O projeto “De Olho no Céu de Teresina” é desenvolvido pelo IFPI-DIREX/THC/GSS. Crédito: Danilo Alefe.

 

Foto da Lua - O projeto "De Olho no Céu de Teresina" é desenvolvido pelo IFPI-DIREX/THC/GSS. Crédito: Danilo Alefe.

Foto da Lua, tirada durante o evento – O projeto “De Olho no Céu de Teresina” é desenvolvido pelo IFPI-DIREX/THC/GSS. Crédito: Danilo Alefe.

 O projeto "De Olho no Céu de Teresina" é desenvolvido pelo IFPI-DIREX/THC/GSS. Crédito: Danilo Alefe.

O projeto “De Olho no Céu de Teresina” é desenvolvido pelo IFPI-DIREX/THC/GSS. Crédito: Danilo Alefe.

eu e a joyce

Joyce Ravena, Edward Montenegro (GSS) -O projeto “De Olho no Céu de Teresina” é desenvolvido pelo IFPI-DIREX/THC/GSS. Crédito: Danilo Alefe.

REGINA IBIAPINA

Profª Francisca Regina, coordenadora de astronomia do projeto Cidade Olímpica Educacional – O projeto “De Olho no Céu de Teresina” é desenvolvido pelo IFPI-DIREX/THC/GSS. Crédito: Danilo Alefe.

 

Gilson Silva e Edward Montenegro, Fazendo o teste dos equipamento– O projeto “De Olho no Céu de Teresina” é desenvolvido pelo IFPI-DIREX/THC/GSS. Crédito: Danilo Alefe.

Gilson Silva e Edward Montenegro, Fazendo o teste dos equipamentos– O projeto “De Olho no Céu de Teresina” é desenvolvido pelo IFPI-DIREX/THC/GSS. Crédito: Danilo Alefe.

Francisco Peixoto, fazendo observação – O projeto “De Olho no Céu de Teresina” é desenvolvido pelo IFPI-DIREX/THC/GSS. Crédito: Danilo Alefe.

Francisco Peixoto, fazendo observação – O projeto “De Olho no Céu de Teresina” é desenvolvido pelo IFPI-DIREX/THC/GSS. Crédito: Danilo Alefe.

Estudantes participando da observação – O projeto “De Olho no Céu de Teresina” é desenvolvido pelo IFPI-DIREX/THC/GSS. Crédito: Danilo Alefe.

Estudantes participando da observação – O projeto “De Olho no Céu de Teresina” é desenvolvido pelo IFPI-DIREX/THC/GSS. Crédito: Danilo Alefe.